Sussurros no Coração – Aoi Hiiragi

Por | 11/03/2014 | Sem Comentários

Trata-se de um shojo mangá publicado em 1989 com o título original Mimi o Sumaseba na revista Ribon (Shueisha) por Aoi Hiiragi, mangaká bastante respeitada no Japão.

Tudo começa com Shizuku Tsukishima terminando de ler a vasta pilha de livros que havia emprestado da biblioteca da escola, afinal são as férias de verão e estivera chovendo por alguns dias. Ela então é surpreendida por encontrar um mesmo nome nos diversos cartões de empréstimo da biblioteca: Seiji Amasawa. Para quem nunca pegou um livro em biblioteca deixe-me explicar, existe um cartão de empréstimo anexado a cada livro e neste são anotados em ordem cronológica o nome da pessoa que o retirou. Shizuku automaticamente sente seu coração bater mais rápido ao pensar que existe em algum lugar uma pessoa que tenha não só gostos similares ao seu, mas atravessou as mesmas aventuras e viveu as mesmas experiências literárias.

Retornando à biblioteca para devolver os livros antigos e retirar um novo, Shizuku acaba escolhendo um que possui o mesmo sobrenome no cartão que havia encontrado anteriormente, mas com o primeiro diferente: Kouji Amasawa. Questiona a funcionária que lhe atende sobre essa pessoa e esta lhe descreve Kouji como um estudante já formado que tem uma personalidade um tanto peculiar.

Encontra-se então logo em seguida com sua amiga Yuuko Harada que lhe pede conselhos amorosos que a distraem ao ponto de fazê-la esquecer seu livro na classe. Quando retorna para buscá-lo um estranho garoto está entretido lendo-o e acaba por devolver o tomo de forma bastante grosseira a Shizuku.

eu4

Ainda em férias, nossa protagonista volta de trem para casa quando observa bestificada um gato preto entrar no vagão. Completamente maravilhada segue o animal ao descer em uma estação diferente da sua e acaba por encontrar uma estranha loja cheia de relíquias e objetos que parecem ter sido retirados dos livros que a garota tanto adora consumir.

Repentinamente uma linda estátua de gato desperta o foco de seu olhar e faz cantar em seu coração a melodia que normalmente costuma escutar ao mergulhar nas estranhas realidades das histórias que lê.

eu

Quando alguém vem lhe atender acaba por comprar um par de óculos qualquer enquanto tenta fugir totalmente surpresa ao ser retirada do hipnotismo que a estátua do gato provocou. Repentinamente um rapaz de óculos com um gato preto na cabeça lhe interrompe a fuga ao devolver o troco que havia se esquecido de pegar e este diz que seu nome é Amasawa. Mas qual? Kouji ou Seiji?

A partir daí a inocente heroína Shizuku irá lentamente amadurecer diante de pequenas maravilhas da vida, que por serem reais e inesperadas são muito mais mágicas e preciosas.

Devo dizer que tudo neste mangá me encanta, desde o traço de formato particular da época, mas ainda sim belo; a trama tão doce e divertida que não tende a breguice de coisas melosas, sendo inocente e ainda assim crível e, claro, com todo o reflexo dos mundos tão diferentes que cada indivíduo carrega dentro de si. Adoro, totalmente recomendado.

eu 2

Este mangá foi adaptado pelo Estúdio Ghibli em 1995 com a direção de Toshifumi Kondo.