Literatura & Cinema – Adaptação Lourenço Mutarelli

Por | 21/02/2014 | Sem Comentários

A Blooks Livraria situada no shopping Frei Caneca promoveu nessa quarta-feira um evento chamado Literatura & Cinema que reuniu o cineasta Marco Dutra, a atriz Tuna Dwek e o escritor (entre outras coisas) Lourenço Mutarelli.

O tema era discorrer sobre a adaptação feita de uma obra literária para a grande tela, com foco no filme dirigido por Marco Dutra – Quando Eu Era Vivo, adaptado/bebendo do livro – A Arte de Produzir Efeito Sem Causa do Mutarelli.

Lourenço até então estava fugindo das entrevistas para não criar atrito já sabendo que a imprensa transformaria qualquer coisa que falasse em relação ao filme numa provocação ao diretor, gerando um clima indesejado. Deixou para falar tudo o que pensava de frente para ele com um enorme respeito. Conforme o whisky em que levara em sua mochila começou a fazer efeito opinava mais sobre sua visão de ambas as mídias.

“O livro deixa de ser meu à partir do momento que eu acabo de escrever e passa a ser de cada um que ler, assim como no filme”.

Lourenço Mutarelli

Lourenço Mutarelli

Um item que não agradou Lourenço foi o fato do uso de uma peruca pelo ator Marat Descartes que interpreta Júnior, perdendo a naturalidade do indivíduo. Outra coisa foi o fator “Sandy” que fora escalada para interpretar Bruna, algo que já o preocupava antes das gravações, mas achou ousado e essa seria a chance dela se transformar, de desatar as amarras, porém não foi o que aconteceu e para piorar assistir ela cantando em algumas cenas durante o filme só causou mais terror – palavras do próprio.

“Eu fiz até uma piada na época quando fiquei sabendo da Sandy, foi que se tem o Junior na história, nada melhor que ter a Sandy”.

Marco Dutra que já havia dirigido Trabalhar Cansa, fora contratado para dirigir essa adaptação e após ler o livro chegou a conclusão que a obra era “inadaptável” para o cinema. Após cinco anos de mudanças de roteiro entre outras coisas, Quando Eu Era Vivo se tornou um longa de terror com toques de magia negra e segundo Mutarelli é o que mais se aproximou da natureza de seus livros. O filme foi rodado em 18 dias.

Sim, Sandy foi algo que perpetuou por um tempo no local.

Marco Dutra

Marco Dutra

A atriz Tuna Dwek que interpreta Lurdinha defendeu a “garota devassa” dizendo que é difícil para as pessoas dissociar do que ela já fez, que o jeito dela agrega ao suspense da personagem e em qualquer outro país onde as pessoas não tem o conhecimento do seu histórico ela será a grande surpresa do filme.

Mutarelli faz uma ponta no filme no papel de Donato, antes já havia interpretado um segurança no Cheiro do Ralo e o protagonista de Natimorto, ambas adaptações de suas obras –  esse último também foi adaptado para o teatro. Agora não pensa em atuar novamente em algum filme proveniente de algo que escreveu.

Tuna Dwek

Outro livro seu chamado Miguel e os Demônios foi escrito como um roteiro para um filme, mas não teve andamento e acabou sendo publicado na versão impressa mesmo (particularmente não gosto). Atualmente trabalha na encomenda de um livro que virará filme estrelado por Otávio Muller e tem o título O grifo de Abdera, no qual revisita a própria obra e aponta que uma das três partes escritas no mesmo é praticamente “infilmável”. Já como ator acabou de fazer as filmagens de Que Horas Ela Volta? – dirigido e escrito por Anna Muylaert – a quem confia de olhos fechados.

“Quando escrevo algo que sei que vai virar filme, faço de tudo pra dificultar”.

Esse encontro era algo que o escritor estava esperando para deixar claro que não importa sua opinião sobre a adaptação, o importante é que aquele é o filme autoral de Marco Dutra e o livro é dele.

Como em todas as palestras em que compareci desse senhor, é sempre motivador escutar qualquer coisa que ele fale.

“No fim das contas o importante é beber, eu pelo menos continuarei a noite inteira”.

Quando Eu Era Vivo teve sua estreia no dia 31 de janeiro, ou seja, para quem se interessar ele ainda se encontra em cartaz.

Para quem tiver disposto a ler as obras literárias do autor, quais não duvido que logo mais todas terão suas adaptações para o cinema:

O Cheiro do Ralo (2002)

Natimorto (2004)

Jesus Kid (2004)

A arte de Produzir Efeito Sem Causa (2008)

Miguel e os Demônios (2009)

Nada me Faltará (2010)