Kokoro Kikai – Yumeka Sumomo

Por | 24/03/2014 | Sem Comentários

Este é um de meus mangás preferidos, sendo também um dos primeiros BL que li. A sua autora Yumeka Sumomo me maravilha até hoje com sua extrema sutileza ao narrar shounen-ai´s geralmente curtos, mas de profundidade sentimental enorme e com uma delicadeza que considero arte.

A autora possui traço bastante único de maneira que chamou minha atenção imediata. Algumas de suas características são os cabelos esvoaçantes que adoro e quando pele é mostrada os corpos parecem ter anatomia distorcida em posições inusitadas que impactam bastante. Os detalhes de enquadramento dos rostos dos personagens também são bem pensados, tendo como exemplo o fato de estes estarem quase sempre escondidos seja por uma franja, de perfil, etc. E quando se revelam é sempre com a intenção de prover algum impacto.

Kokoro Kikai é uma oneshot dividida em duas partes, a primeira homônima e a segunda chamada Amaya no Hoshibito. Nela somos apresentados a Shinobu que cumpre seus afazeres de praxe dentro da sociedade: freqüenta a escola, sai com seus amigos e trabalha duas vezes por semana em um karaokê. No entanto, Shinobu está mortalmente entediado e sente-se vazio todo o tempo ao ponto de se perguntar se realmente está vivo. Então descobre em um caderno de reclamações do karaokê, em que tanto funcionários quanto frequentadores podem preencher com sugestões, a mesma frase que pulsa em sua mente: “Realmente estou vivo?”.

kokoro_kikai_p006

Para saber quem escreveu esta frase e exatamente o que acontece com Shinobu, por favor, leiam esta deliciosa história, que de tão curta e verdadeira está perigosamente perto de ser um aprendizado para a vida.

Yumeka Sumomo é apenas um dos diversos pseudônimos desta artista que a identidade real permanece incógnita. Este nome é usado apenas para suas obras BL que são vastas. Também se utiliza de Sahara Mizu para trabalhos seinen, Sahara Keita para shojos e Chikyuya/Sasshi para obras doujinshi.