DLC Quest - humor

FDB #02 – O Gênero de humor também existe nos jogos

Por | 15/01/2014 | Sem Comentários

Os gêneros existem em todo tipo de mídia, porém cada qual tem suas próprias características, na música são totalmente diferentes dos que existem no cinema, por exemplo, mas há uma tendência que ouvimos em conversas ou até em textos da crítica em querer aproximar os gêneros dos jogos de video-game aos de cinema.

Boa parte dessa tentativa de aproximação é por que muitos jogos usam a narrativa como uma das formas de conduzir o jogador, e o jogar se torna só uma parte da história.

Não é minha intenção nesse texto dissertar a importância de um enredo em um jogo, onde quero chegar é que sim, existem certos gêneros cinematográficos que realmente se aproximam de gêneros nos jogos, sendo o mais comum o de ação por ser o mais fácil, mas também existem horror (survival horror), ficção científica, suspense, thriller policial, e até mesmo romance (visual novel). Mas outros gêneros até pouco tempo eram considerados impossíveis de se adaptar para jogos, como é o caso do humor.

Vou falar aqui então de dois exemplos de jogos que conseguiram adaptar o humor não só no enredo, mas fez dele a base de sua jogabilidade, e a essência do jogo em si, um exemplo é divergente e outro convergente, vou explicar a seguir.

DLC Quest
O que aconteceria se alguém decidisse transformar uma piada em um jogo? Com certeza seria algo como DLC Quest. Hoje os jogos vendem, mas as empresas usam de outras formas de ganhar dinheiro que são vendendo conteúdo extra, os chamados DLC’s, mas a prática deles tem se tornado tão abusiva, que o seu absurdo é muito inspirador para ser motivo de sátira.

DLC Quest

DLC Quest é curto, em suma é só um jogo de pegar moedas, mas tudo nele é construído em volta da piada que ele sustenta, os NPC’s, as placas no caminho, os próprios DLC’s que desbloqueamos no jogo usando as moedas, tudo é uma paródia, faz referência ou outras piadas em volta do tema principal.

DLC Quest

Apesar de eu considerar ele longo para um jogo, e muito curto para uma boa piada, DLC Quest é um exemplo de jogo de humor, pois tudo nele converge, tem a intenção de satirizar, e isso se encontra até mesmo na motivação do jogador.

Mc Pixel
A premissa dele é simples, existe uma cena, nessa cena existe um problema, você precisa clicar em algo para resolver esse problema e assim “salvar o mundo”.

Mc Pixel

Essa premissa simples é o melhor motor para jogos de humor divergentes, ele cria uma situação X que funciona como uma gag, uma piada rápida cronometrada, e está em suas mãos o controle dos elementos absurdos que aparecem ali, e é hilariante se surpreender com o efeito dessas escolhas. Vale conferir, pois só mesmo a experiência de jogá-lo pode te fazer entender por completo o quão engraçado McPixel pode ser.

Conclusão
Esses dois exemplos mostram formas interessantes de usar humor nos jogos, um converge, criando todos os elementos do jogo voltados para uma única piada sustentada do começo ao fim, e outro diverge, criando inúmeros cenários absurdos com liberdade para se criar um desfecho hilariante dentre vários possíveis. Vale conferir esses dois jogos por essas suas abordagens inovadoras que mostram que também jogar pode te fazer rir.