Michael Cera com o cacto de São Pedro, Crystal Fairy

Crystal Fairy & the Magical Cactus and 2012

Por | 20/03/2014 | Sem Comentários

Jamie (Michael Cera), um jovem americano que após ter lido o livro As Portas da Percepção de Aldous Huxley e ter tido uma epifania com os pensamentos do autor, vai para o Chile com um único propósito, o de consumir mescalina pura através do chá de São Pedro que é preparado da casca do cactus de nome científico Echinopsis pachanoi. Jamie tem a ajuda de Champa (Juan Andrés Silva), basicamente um jovem chileno que o auxilia quando precisa falar espanhol.

O filme se inicia em uma festa no Chile onde conhecemos quem é Jamie, um jovem viajando com uma grande quantia em dinheiro atrás de descoberta e diversão. Durante seus primeiros diálogos percebemos esse seu engajamento e quanto o livro de Huxley o influencia em seus atos, citando-o inúmeras vezes.

Michael Cera e Gaby Hoffman

Michael Cera e Gaby Hoffmann como Jamie e Crystal.

Durante a festa Jamie conhece uma garota (Gaby Hoffmann) que dançava entre as pessoas de forma excêntrica, ela acaba por despertar a atenção dele por falar inglês e ser americana, diz se chamar Crystal Fairy e se interessa pelo objetivo do protagonista que é tomar o chá de São Pedro na praia do Cerro Pan de Azúcar.

No dia seguinte ele sai com Champa e seus dois irmãos mais novos Lel (José Miguel Silva) e Pilo (Agustín Silva) para essa jornada e no meio do caminho Crystal Fairy liga para eles e acaba se juntando ao grupo.

Michael Cera e Silva brothers

Dois dos irmãos Silva, Juan e Agustín como Champa e Pilo acompanhados de Michael Cera como Jamie .

A excentricidade da Crystal é bem exagerada, para conseguir imaginar é só pensar em uma garota hippie, mística e vegetariana – uma bicho-grilo como alguns podem chamar. Essa sua personalidade contrasta com a de Jamie que demonstra ser centrado, racional e perfeccionista apesar de toda a pose de descolado. Essa dinâmica é o que conduz boa parte do filme, nos mantém perguntando o quão louca Crystal realmente é, e nos incomoda com o quanto Jamie é babaca e tenso em alguns momentos.

Michael Cera Gaby Hoffmann Crystal Fairy

Após finalmente conseguirem tomar o chá, o filme começa a mostrar um pouco mais os dois personagens principais, Jamie que estava completamente nervoso e ansioso alcança uma espécie de liberdade a qual não tinha antes, ele relaxa. Mas o verdadeiro foco passa a ser em Crystal Fairy, sua personalidade começa a ganhar várias nuances conforme vai sutilmente revelando coisas sobre ela, deixando de ser só uma caricatura para então a enxergamos como um ser humano.

Crystal Fairy é um filme sobre uma busca pela compreensão de algo que não sabemos bem o que é. Quando se fala disso é recorrente pensarmos em viagens, ler livro de pensadores, ouvir e passar por experiências, buscar pela compreensão do universo, tudo isso está na trajetória do protagonista, mas não foi em nenhuma dessas coisas que ele extraiu qualquer compreensão e sim através do fato de conhecer uma pessoa. Essa que teve a vida completamente diferente da dele e que encara tudo de outra forma, é ela que foi sua verdadeira descoberta muito além do que o chá de São Pedro proporcionou.

Michael Cera

 

Crystal Fairy & the Magical Cactus and 2012 é um filme autoral do cineasta chileno Sebastián Silva (La Nana) e teve sua estréia durante o festival de Sundance em 2013. Foi exibido no Brasil durante o Festival do Rio de 2013, mas não foi lançado comercialmente por aqui. Michael Cera e Gaby Hoffmann representaram muito bem ambos os papéis com cenas bem gráficas como Cera cheirando cocaína explicitamente ou Gaby em nudez frontal total durante muito tempo em cena. Dessa vez o personagem de Michael não pedia uma comédia caricata como de costume, o que parece ter sido um desafio interessante para ele como ator, o qual cumpriu bem. No caso de Gaby Hoffmann, ela está irreconhecível, assumindo mesmo o que viria a ser uma Crystal Fairy, inclusive deixando os pelôs do corpo crescerem. A família Silva presente no filme também representa muito bem com a naturalidade que pedia cada cena.

Crystal Fairy vale ser assistido por inúmeros motivos, assista e descubra por si qual é o seu motivo.