BLACK SAILS

Por | 26/02/2014 | Sem Comentários

Há muito espero por uma série sobre piratas e eis que surge Black Sails (Velas Negras), que está em seu quarto capítulo e é transmitida no canal pago estadunidense Starz, o mesmo que de Spartacus.

O ano retratado é 1715 nas Índias Ocidentais. Logo no início um paquete inglês é atacado por um navio pirata… Sim, ele possui uma bandeira com uma caveira. A cena é muito bem dirigida sendo mostrada pelo lado dos ingleses trabalhando bem o suspense sem saber de onde vem o ataque, o que transforma os invasores em verdadeiros fantasmas, em algo mítico. É bom que se contente com essas ações e explosões a-lá Michel Bay (produtor da série) porque vai demorar para acontecer isso novamente, não só esse tipo de cena como qualquer outra em alto mar.

03

O comandante desse paquete possui um caderno com as rotas marítimas que leva a um grande tesouro que o capitão do navio pirata Flint (Toby Stephens), está procurando há alguns meses, algo que sua tripulação já desconfia não existir mais. Após conseguir o caderno, percebe que uma página fora arrancada – o itinerário.

John Silver (Luke Arnold) um dos tripulantes que se escondeu na hora da invasão e por motivos de consequências do acaso acaba com o itinerário em sua mão. Ele é uma espécie de Jack Sparrow, atrapalhado, covarde, antes você do que eu – a não ser que tenha ouro envolvido (Silver, Golden). Até agora não foi revelado nada de sua real história.

07

Capitão Flint

Entra para frota ao convencer o contramestre pirata Billy Bones (Tom Hopper) ser um bom cozinheiro e alguém com esse ofício é bem vindo em qualquer navio, mas não revela em nenhum momento sobre estar em posse do itinerário. Esse ouro encontra-se no maior galeão espanhol nas Américas com uma carga de 5 milhões de dólares espanhóis – a Urca de Lima (Hulk).

Depois disso o navio é aportado em Nassau – Ilha da Nova Província, para repassar as cargas roubadas, encher os barris de rum, “tirar a seca”, fazer alianças entre outras coisas. Nesse lugar é onde são apresentados novos personagens como a dona da taverna a senhorita Guthrie que revende as mercadorias dos navios. Ela tem uma grande influência na ilha devida a família de seu pai; também surge o antagonista da série capitão Charles Vane, a prostituta Max, entre outros.

13

Senhorita Guthrie e Max

Nessa ilha é onde Black Sail fica “encalhada” durante a metade do primeiro episódio até o atual, com inúmeras sub-tramas, explicações demasiadas e sem necessidade, ou fora do momento, muita falação. Tudo isso me fez lembrar seriados da globo. Não é só colocar uma bandeira preta e falar que é uma produção pirata, sinceramente as vezes fica um porre… E não é de rum.

Algo que não entra em minha cabeça é ficarem quase quatro capítulos inteiros e nada de irem para o mar, ainda que a série tem seus méritos na produção, na intenção de explicar com detalhes a hierarquia de uma frota seja pirata ou não, acho que se um dia forem a guerra, digo fora da terra, creio que também explicarão como se guia um navio pirata.

12

Billy Bones

É quase tudo bonito demais, diferente do que eu espero pra esse tema. Em termos de frieza e falta de censura não se compara a Spartacus. Entendo ser difícil cenas desse porte, mas isso não pode ser desculpa para quem estiver escrevendo o roteiro.

Continuando a resenha… John Silver conhece Max e juntos tentam vender o itinerário para capitão Vane, mas quando Flint descobre que ele o possui, Silver em um momento de desespero decora e em seguida queima a página.

Capitão Flint possui um histórico sombrio e aparentemente pensa a frente dos que o rodeiam. Tem a intenção de conquistar esse ouro para uma grande guerra contra os ingleses que prevê acontecer em pouco tempo.

Capitão Vane e seu "braço direito e esquerdo"

Capitão Vane e seu “braço direito e esquerdo”

Após esse eterno prólogo espero que tenha um barril cheio de ouro no fim disso… Porque tem seu potencial. Indico Black Sails para as pessoas que apreciam o cenário pirata e por mais que eu ache ser uma grande enganação camuflada numa boa fotografia.

YO HO HO E UMA GARRAFA DE RUM!